+55 (11) 3673-1388

Notícias SAESP

Número de médicos no Brasil atinge a casa de meio milhão, segundo estudo

Institucional

20/03/2022

O Brasil passou a contar, em novembro de 2020, com 500 mil médicos, marca histórica que dá ao país perto de 2,4 profissionais por mil habitantes. Desse total, 25.484 (5%) têm como especialidade a Anestesiologia, com uma proporção de 12,13 especialistas por 100 mil habitantes.

Os dados são do estudo Demografia Médica no Brasil 2020, realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, com a cooperação técnica do Conselho Federal de Medicina (CFM). Essa é a quinta edição da pesquisa, iniciada em 2010, revelando que, na última década, perto de 180 mil médicos entraram no mercado de trabalho – crescimento impulsionado pela abertura de novas escolas e pela expansão de vagas em cursos de Medicina já existentes. Em 10 anos, foram abertas mais de 20 mil novas vagas de graduação, a maioria (84%) ofertada por escolas privadas.

Na apresentação dos resultados da pesquisa, o diretor da Faculdade de Medicina da USP, Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, diz que o estudo reafirma o compromisso social da universidade de “aproximar o trabalho acadêmico do diagnóstico, da discussão crítica e da solução de problemas complexos que afetam a vida nacional”. Para o presidente do CFM, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, o estudo “oferece subsídios para a atuação das entidades e governantes comprometidos com a valorização da Medicina e as melhorias das condições de saúde da população”.

Em sua introdução, o coordenador do estudo, Prof. Dr. Mário Scheffer, do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP, destaca que a pandemia do novo coronavírus relembrou “o quão fundamentais são os recursos humanos e a existência de médicos em quantidade suficiente, bem distribuídos, valorizados e protegidos, com habilidades e capacidades para atender às necessidades da população de maneira oportuna, eficiente e efetiva”.

Crescimento acelerado e desigual

Tendo como ponto de referência o ano de 1920, o estudo mostra que, nos últimos 100 anos, o número de médicos no Brasil aumentou proporcionalmente cinco vezes mais que o número de habitantes. Em um século, o total de médicos cresceu 35,5 vezes, enquanto a população aumentou 6,8 vezes.

A distribuição dos profissionais pelo país mostra um quadro de desigualdade. A Região Norte conta com 1,3 médicos por mil habitantes, enquanto na Região Sudeste essa relação é de 3,15. Os moradores das 48 cidades brasileiras com mais de 500 mil habitantes, que, juntas, concentram 30% da população, têm 60% dos médicos do país.

Apenas 21,5% dos médicos trabalham exclusivamente no Sistema Único de Saúde (SUS), enquanto 28,3% atuam somente no setor privado. Os demais têm prática dupla, no sistema público e no particular.

Mudanças no perfil

Cerca de 40% dos médicos brasileiros não são especialistas, porque não concluíram a Residência Médica nem obtiveram título em uma sociedade de especialidade médica. Entre as especialidades, a Anestesiologia é a quinta com maior número de profissionais: 25.484 médicos, ou seja, 5,9% do total de especialistas brasileiros.

A distribuição por regiões do país mostra uma concentração de especialistas em Anestesiologia na Região Sudeste (50,3%). O Nordeste e o Sul contam com pouco mais de 18% cada, enquanto o Centro-Oeste tem 8,9% desses profissionais e o Norte, apenas 3,9%.

Ao longo de 314 páginas, a pesquisa revela, ainda, que a Medicina é uma profissão cada vez mais jovem no Brasil. A média de idade em 2020 era de 45 anos. Em Anestesiologia, o maior percentual de especialistas (15,1%) está na faixa de 35 a 39 anos. Na última década, as mulheres se mantêm como maioria entre os novos médicos registrados nos Conselhos Regionais de Medicina. Em Anestesiologia, elas ainda são minoria (37,8%).

Panorama médico

De acordo com dados do estudo Demografia Médica do Brasil 2020, realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, o Brasil tem:

  1. 500 mil médicos – 2,4 profissionais por mil habitantes
  2. 5% tem com especialidade a Anestesiologia – 12,13 especialistas por mil habitantes
  3. Em um século, o total de médicos cresceu 35,5 vezes, enquanto a população cresceu apenas 6,8 vezes
  4. 21,5% dos médicos trabalham no SUS e 28,3 % no sistema particular
  5. A pesquisa mostra uma concentração de anestesiologistas na Região Sudeste (50,3%), Norte e Sul (18%), Centro Oeste (8,9%) e Norte (3,9%)
  6. O maior percentual de anestesiologistas (15,1%) está na faixa de 35 a 39 anos, sendo apenas 37,8% formado de mulheres.

Fonte: