+55 (11) 3673-1388

Notícias SAESP

Algologia amplia o campo de atuação dos anestesiologistas

Informações

13/07/2021

Na abordagem moderna da especialidade, a prevenção e o manejo da dor fazem parte da rotina do anestesiologista. Cada vez mais, o profissional atua para garantir o conforto do paciente durante todo o período perioperatório. É essa afinidade que o aproxima da Algologia ou Medicina da Dor, uma área de atuação relativamente nova que amplia os horizontes de atuação do anestesiologista para além do centro cirúrgico. Focada no estudo da dor, a Algologia surgiu há cerca de 50 anos para responder à necessidade de tratar a dor de forma mais objetiva. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED), criada em 1983, já conta 1.600 membros de diversas especialidades — desses 1.000 juntaram-se à sociedade há menos de dois anos. A queixa de dor é cada vez mais frequente nos consultórios médicos em todo o mundo. Estima-se que de 10% a 30% das pessoas, dependendo do estudo, tenham dores crônicas. Para enfrentar esse quadro, o estudo da dor foi sendo aprofundado e foram desenvolvidas novas opções terapêuticas, farmacológicas ou não, intervencionistas ou não. “Eu tenho colegas que começaram a tratar a dor há cerca de 20 anos. Para a medicina, é algo relativamente novo. Eles contam que nessa época não tinham quase nada para tratar a dor forte. Era praticamente apenas morfina. Nas últimas duas décadas, a demanda cresceu, surgiram muitas opções terapêuticas, e o estudo foi ficando tão profundo que acabou sendo criada essa área de atuação. Hoje, a dor requer uma abordagem multiprofissional”, explica o anestesiologista e algologista, Dr. Felipe Chiodini, do Grupo de Dor Do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e coordenador dos Grupos de Dor do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo e do Hospital São Luiz – Unidade Jabaquara. Algologia ainda não é uma especialidade médica reconhecida, mas existem cursos em quase todas as capitais brasileiras e pelo menos cinco opções na capital paulista. Em geral, têm duração de um a dois anos. Alguns deles são online, não para o interessado tirar o título de área de atuação, mas para começar a estudar o tema dor. Todos ligados à SBED. Depois desses cursos, podem ser realizados estágios e residências. Médicos de diversas especialidades podem obter o título de atuação em Algologia, como ortopedistas, neurologistas, neurocirurgiões, reumatologistas, psiquiatras, pediatras, acupunturistas e anestesiologistas, entre outros.

Fonte:

SAESP